Portal de Notícias Água Preta News

Notícias Policial

Filho de Neco Batista vai à polícia e diz que foi agredido pelo irmão no enterro do pai

Na confusão, Manoel Júnior disse que se encontrou com sua cunhada Rosilma e que ela estava tremendo e em estado de choque

Filho de Neco Batista vai à polícia e diz que foi agredido pelo irmão no enterro do pai
Manoel Júnior na Delegacia de Polícia, onde registrou ocorrência contra o irmão Magno Pinheiro.
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O sepultamento do ex-prefeito de Itanhém por dois mandatos, Neco Batista, no final da tarde do último domingo (1), na Fazenda Suíssa, onde morava, não terminou com o silêncio imperante do luto, porque um dos filhos do ex-prefeito não teria permitido que seu meio-irmão adentrasse o quarto onde o pai passou seus últimos dias de vida.

Logo após o sepultamento, Manoel Batista dos Santos Júnior, de 34 anos, por volta das 18h, entrou no quarto onde Neco Batista dormia, mas lá, segundo ele, foi ameaçado de morte e agredido físico e verbalmente pelo dentista Magno Pinheiro.

Na manhã desta segunda (2), com marcas no corpo Manoel Júnior foi à Delegacia de Polícia da cidade de Itanhém e registrou um boletim de ocorrência contra o irmão e fez o laudo de lesões corporais. No termo de declaração ao delegado Júlio César Telles, a que o Água Preta News teve acesso, Manoel Júnior disse que foi expulso do quarto com agressividade por Magno Pinheiro.

“Ele me puxou pela blusa, me empurrando para fora da casa, mas eu disse que aquela casa era tanto dele quanto minha”, contou.

Ao ser expulso do quarto, Manoel explicou que bateu a cabeça na porta do guarda-roupa e levou um corte na testa. De acordo com o depoimento, ‘descontrolado’, Magno Pinheiro xingou e ameaçou de morte o irmão.

“Você é um viado, seu filho de uma puta, filho de uma prostituta, seu bastardo, você não é filho do meu pai, eu vou te matar, eu ainda te mato”, relatou Manoel Júnior à polícia.

Logo depois, Manoel disse ter se encontrado com os irmãos Newton Pinheiro e Zulma Pinheiro – a ex-prefeita de Itanhém – e pediu a eles para acalmar o agressor que, segundo ele, estava descontrolado.

Na confusão, Manoel Júnior disse que se encontrou com sua cunhada Rosilma – mulher de Newton Pinheiro – e que ela estava tremendo e em estado de choque.

“Ela estava gaguejando que nem conseguia falar direito, devido a Magno estar transtornado, agressivo”, acrescentou.

Ainda de acordo com o depoimento, Manoel Júnior disse que Magno Pinheiro pegou ‘uma pedra grande’ para jogar nele e que só não o fez porque foi impedido pelos familiares.

A polícia quis saber por qual motivo o irmão teria impedido que Manoel Júnior entrasse no quarto do pai e ele foi econômico nas palavras.

“Por motivo de ambição”, resumiu.

Nunca ocorreu

O Água Preta News fez contato com o dentista Magno Pinheiro, perguntando se ele tinha algo a declarar sobre a acusação de que teria agredido o irmão Manoel Batista dos Santos Júnior, logo após o sepultamento de Neco Batista.

Magno Pinheiro disse lhe “causar estranheza a indagação” do site e questionou se o portal estava “fazendo uma afirmação a respeito de algo inexistente”.

“Como ter algo a declarar de algo que nunca ocorreu?”, questionou Magno, acrescentando. “No imaginário das mentes imundas infelizmente a mentira e a falta de pudor impera.”

Magno ainda sugeriu que "para dirimir quaisquer dúvidas a respeito de sua vida pessoal e profissional, só basta conhecer a sua história".

Leia mais aqui sobre a contribuição de Neco Batista para Itanhém.

Manoel Júnior na unidade de saúde, em Itanhém, onde fez o laudo de lesões corporais.

Fotos de Manoel Júnior e Neco Batista demonstra que pai e filho tinham boa relação. Fotos: Arquivo pessoal.

 

FONTE/CRÉDITOS: Por Edelvânio Pinheiro
Comentários:

Veja também

Responderemos assim que possível